Wednesday, December 07, 2016

Qual é coisa qual é ela? - O álbum das adivinhas - 1978/1979



as músicas:

a escola

a aldeia
o fotógrafo
a fábrica
o mar
o comboio
a caixeira
o pastor
o circo
o pescador
o sol
o pedreiro




align=
“Morno, frio, quente, a escaldar... é uma adivinha, muitas adivinhas, para adivinhar...” Foi assim que nasceu este disco. Trabalho de brincar. Criança que não deixei, não deixámos de ser, olhos abertos para o que se passa em volta, atentos. Porque fomos três na equipa inicial: o Luís Pedro, o Zé da Ponte e eu. Muitos mais depois. A Lena Águas, os meninos que com ela brincaram de cantar, o Carlos, o Rui, o Francisco, a Ana, o João, a Betinha, a Micá e todos osa outros que trabalharam para que as Adivinhas fossem disco, este disco. “Tens que escrever umas palavras”, disseram-me. Palavras? Não. Vou antes escrever: pescador, caixeira, mar, sol, pedreiro, fotógrafo, fábrica, comboio, pastor, aldeia, circo, escola. Pensando no trabalho de cada um, parando um pouco para olhar o sol e o mar, participando, afinal, na vida de todas as pessoas e de todos os dias, surgiram as soluções para as adivinhas, tão fáceis de adivinhar. Dirão alguns que não é um disco infantil. Porque não foi ao Jardim da Celeste, não andou de mão dada com As pombinhas da Catrina nem namorou a Rosinha do meio... é verdade que às Pombinhas da Catrina preferimos o maro sol, e o retrato do José, de fatiota nova. Que trocámos o Jardim da Celeste pelo circo, pela aldeia, pela escola, pela fábrica. Que pusemos de lado a Rosinha do meio para cantarmos o pescador, o pedreiro, a caixeira, o pastor. O Luís Pedro, o Zé da Ponte, e eu com eles, entendemos assim o nosso – vosso disco infantil. E ficaremos felizes se todos, crianças e adultos, cantarem connosco “a batida bem certinha do coração do operário”, ou o arco-íris que faz o sol quando pelas nuvens se mete ( e só cores são sete!) ou a vida da caixeira que “dobra, desdobra, busca e rebusca, conta e reconta e torna a contar”.
Qual é coisa, qual é ela?” é o disco infantil que todos “vivemos” dia a dia.
 Maria João Duarte 1978

Friday, March 25, 2016

Aguaceiro, 1987



lado A
voar  (youtube)
fim do verão (youtube)
estou além (youtube)
a barca dos amantes  (youtube)




lado B
aguaceiro  (youtube)
bela adormecida (video)
redondo vocábulo  (youtube)
se o vento chamar por mim
 (youtube)

(só em vinil)

arranjos e produção de António Emiliano

Aguaceiro


Ficha técnica:

António Emiliano, teclados
João Maló, guitarra
Yuri Ferreira, baixo
Manuel Costa Reis, bateria

Emanuel Ramalho, bateria em Estou Além
Carlos Martins, saxofone em Voar e Fim do verão
Rui Veloso, guitarra solo em Aguaceiro
Isabel CampeloJoão Teixeira, coros em Fim do verão e Se o vento chamar por mim
Sara ÁguasFilipa Águas e Joana Leal, coros em Voar

Fotografia, Raul Constâncio
Capa, José Manuel- Avenida Designers
Gravação, assistência de produção e supervisão de corte de acetato de Jorge Barata

Gravado e misturado no AngelStudio2, em junho e julho de 1987

Arranjos e Produção de António Emiliano para a CBS (Portugal)

Sunday, February 07, 2016

Tortosendo 31 de Janeiro 2016

eu e o Ricardo Dias espiados da rua durante o ensaio de som, no Tortosendo, com mil passarinhos a cantar :) <3 ^_^

Posted by Lena d'Agua on Thursday, 4 February 2016

Saturday, February 06, 2016

o documentário 'bela adormecida'

aqui está o documentário feito pelos alunos da Lusófona, editado em 2010. (não existe no youtube, só mesmo neste sítio)

Posted by Lena d'Agua on Tuesday, 2 February 2016